Educação 4.0: trabalhando com projetos em sua comunidade

Em meio às transformações tecnológicas e sociais que temos vivido, todos e todas tomam parte nesse avanço. As nossas classes C, D e E que formam a nossa base da pirâmide econômica e social no Brasil e por isso mesmo, formam a força produtiva e de trabalho do país, mas que o acesso a oportunidades de formação e trabalho são mais escassas e insipientes para esse público, precisam ser incluídas na transformação educacional para a nova economia.

O terceiro setor, formado pelas organizações da sociedade civil (OSC’s), são responsáveis por boa parte do trabalho destinado a esse público, buscando incluí-los e gerar valor de impacto social agregado ao desenvolvimento de territórios. O setor 2,5, formado pelos negócios de impacto social ou organizações híbridas (parte organizações sociais mas que possuem área de negócios acopladas) também buscam nesse público gerar impacto social positivo e ao mesmo tempo sustentabilidade financeira, buscando incluir e trabalhar a autonomia social e econômica dessa população. 

Esses agentes que trabalham proporcionando essa transformação na vida dessas pessoas que formam nossa base da pirâmide são peças chave para levar o conhecimento tecnológico e a educação para o acesso e uso positivo das redes em frente, fazendo com que a tecnologia digital também seja um suporte para a geração de valor na comunidade.

Se toda a nossa população está a mercê do avanço tecnológico veloz, o que dizer de quem ainda não tem acesso suficiente a ele e muito menos oportunidades de formação e trabalho no campo? 

Somos o 4º país mais conectado do mundo, mas o uso da tecnologia digital é considerado insipiente.” (GOOGLE, 2019)

Como trabalhar a educação 4.0 uma comunidade ou com beneficiários de uma instituição social? Segue nosso case do Programa de Embaixadores Sociais do Social Brasilis.

“O nosso Programa de Embaixadores Sociais é uma iniciativa gratuita, 100% digital e que estimula pessoas de todos os lugares do país a pensarem e a desenvolverem projetos de impacto social em comunidades, escolas, universidades e instituições sociais, tendo como desafio usar a tecnologia digital como um canal ou suporte durante as ações e atividades desse projeto social. O primeiro piloto do programa iniciou em junho/2019 com 88 embaixadores de todo o Brasil, trazendo diferentes temáticas para se pensar projetos e ações para elas, temáticas como: Inteligência emocional para professores, plataforma de capacitação para o 3º setor, preservação de mangues, rede de vendas para artesãs, capacitação em mídias sociais e digitais e etc; O programa possui uma jornada interativa de 10 passos que levam a construção de um projeto do zero, além de material didático e mentorias, e tem duração de 03 meses. Os embaixadores ainda são avaliados através das habilidades 4.0 através do impacto social gerado por seu projeto.”

 E aí, em sua comunidade ou alguma instituição social que você conhece, o que você pode fazer para ajudar a construir impacto social positivo? 

Você sabia que além do Programa de Embaixadores Sociais, o Social Brasilis desenvolve metodologias e programas que buscam capacitar as pessoas por meio da educação 4.0, tornando-as autônomas tecnologicamente e independentes financeiramente? Veja nosso site e conheça mais nossos serviços: https://socialbrasilis.com.br/trabalhe-conosco/ ou fale diretamente conosco: contato@socialbrasilis.com.br

 Esse é o último artigo da série Educação 4.0 a partir de cases do Social Brasilis. Ainda há muito o que se falar a respeito, espero que esse conteúdo tenha servido para uma introdução ao assunto…em breve, mais informação e conteúdo produziremos sobre isso através das redes. Os artigos também estão disponíveis no site da Manú Oliveira: www.manuoliveira.com.br

Deixar Comentário

Translate »