Nos dias 29 de outubro à 01 de novembro de 2018 em Fortaleza-CE aconteceu o Congresso Brasileiro de Informática na Educação (CBIE) e nesta edição trouxe o tema “educação e empreendedorismo .

“A informática na educação tem um papel em inovação para novos mercados extremamente importante, além de possibilitar o empoderamento de estudantes para os desafios atuais, cada vez mais ligados as novas tecnologias. Na educação, o empreendedorismo está ligado ao sentido de empoderamento do estudante como profissional autônomo, capaz de propor soluções criativas e inovadoras para as diferentes necessidades. Atualmente, o Brasil ocupa boas colocações em índices de pesquisa, mas números insignificantes nos de inovação e empreendedorismo. Diante disto, o CBIE 2018, terá como tema: Educação e Empreendedorismo, promovendo ao longo das atividades, momentos de discussão da temática e de possíveis soluções a serem desenvolvidas” (Trecho retirado do site oficial do CBIE).

O evento contou com realização do Instituto UFC Virtual da Universidade Federal do Ceará e SBC com expectativa de receber em terras cearenses cerca de 600 profissionais, entre pesquisadores, professores da educação básica, estudantes e estudiosos da temática da informática na educação, para compartilhar seus avanços e experiências exitosas do uso da tecnologia digital em sala de aula ou para fomentar aprendizagem em espaços educacionais além dos muros da escola.

O Social Brasilis foi representado por nossa fundadora e atual diretora executiva Emanuelly Oliveira no painel Informática na educação: Inovação e empreendedorismo que aconteceu no dia 30/10 ao lado do Prof. Dr. Alex Sandro Gomes da UFPE – Universidade Federal de Pernambuco.

Durante sua fala, Manú compartilhou a história do Social Brasilis, o uso de plataformas virtuais de aprendizagem em todos os programas educacionais produzidos pela empresa e o case Game Olhares que somente em 2018 atendeu mais de 700 jovens de 16 localidades em três estados nordestinos – que é uma metodologia gamificada desenvolvida pelo Social Brasilis que trabalha o empreendedorismo em jovens em idade escolar.

“Usar plataformas virtuais de aprendizagem possibilita colocar o participante usando a tecnologia digital de forma positiva desde o período formativo, levando-o ao conhecimento de ferramentas, aos caminhos para se estudar, empreender e trabalhar através do meio digital e de, ao mesmo tempo, fomentar uma interação mais positiva do ciberespaço fazendo dele mais ativo, dinâmico e que gere impacto positivo a partir do que o participante vivencia no mundo off-line, onde a vida, de fato, acontece”, destacou Emanuelly.

O momento foi único para apresentamos nossos dados e métricas de impacto na educação e no uso de tecnologias digitais para o empoderamento de pessoas, destacando nossos números de desenvolvimento social, digital e econômico nos contextos sociais que o Social Brasilis atua. Em quase três anos de atuação, batemos mais de 3 mil pessoas que passaram por nossos programas de forma direta em mais de 40 cidades brasileiras e, sobretudo, nordestinas. Que o modelo de educação transformadora e diversa rompa fronteiras através do uso positivo da tecnologia digital e do ciberespaço.

Agradecemos ao convite do Instituto UFC Virtual que desde os primeiros meses de criação da ideia Social Brasilis é um parceiro na propagação do uso do meio virtual como um espaço de aprendizado, inovação e também de inclusão social através da educação.

Eq. Social Brasilis

Deixar Comentário

Translate »